Dupla de alunos do Claretiano retira mais de 140 livros na Biblioteca “Pe. Elias Leite”

O hábito da leitura é fundamental para aprimorar os conhecimentos, ainda mais na fase universitária onde é construída a base para a vida profissional. Nessa etapa os estudantes do Claretiano – Centro Universitário aproveitam para, paralelamente com os assuntos vistos em sala de aula, adquirirem conhecimentos com os livros disponíveis na Biblioteca ‘Pe. Elias Leite’, localizada na sede claretiana.

O acervo da biblioteca é composto por materiais impressos (41.579 títulos e 120.538 exemplares) e materiais eletrônico (1.266 títulos) e todos podem ser usufruídos pelos alunos.

Embora o fluxo de retirada de títulos seja sempre intenso na biblioteca, dois universitários se destacaram no primeiro semestre letivo (janeiro a junho) pelo número de obras retiradas: Marcus Vizu, 26, aluno de Nutrição e Daiene Helena Ferreira, 21, aluna de Fisioterapia retiraram, juntos, 141 títulos.

A quantidade de livros retirados e lidos, mesmo que parcial, pelos dois estudantes é muito acima da média de leitura do brasileiro, pois segundo a 3ª edição da pesquisa Retratos da Leitura no Brasil a média de leitura é de quatro livros por ano, sendo que apenas 2,1 livros são lidos até o fim.

No período, Marcus fez o uso de 72 obras relacionadas ao seu curso enquanto Daiene pegou 69 livros para complementar os estudos vistos em sala de aula. Marcus explica que os livros retirados na Biblioteca não são lidos integralmente, até porque o tempo disponível para isso teria de ser vasto, mas que são lidos muitos capítulos. “Quando retiro livros, costumo ler capítulos e partes das obras, geralmente as que tenho interesse ou para sanar dúvidas. Procuro sempre a literatura bibliográfica quando desejo um conhecimento mais profundo sobre determinado tema”, conta.

Para os empréstimos na Biblioteca, Marcus conta que a escolha se dá por interesses de conhecimento e também por conteúdos que são passados no curso. “Quando desejo um conhecimento mais amplo e profundo recorro aos livros. Por exemplo, para a elaboração do meu Trabalho de Conclusão de Curso tenho recorrido bastante aos livros, pois alguns conceitos são específicos e encontrados somente na literatura bibliográfica. Procuro não ficar limitado a apenas uma obra, mas seleciono várias e escolho a que mais sinto afinidade e interesse. Sobretudo, procuro angariar citações de todas essas obras, assim o conhecimento é cada vez mais enriquecido”, explica.

Rotina

Tanto Marcus como Daiene procuram, a seu tempo, ter uma rotina de estudos. Eles não deixam acumular informação e ao mesmo tempo não deixam a leitura específica de cada área de lado. Eles têm disciplina com os estudos de acordo com o seu dia a dia. Marcus procura estudar todos os dias, mas sem mensurar quantidade de horas. “Com essa rotina consigo angariar conhecimento sem ficar preso a estudar um dia antes das provas, ocasionando o desespero comum entre os estudantes. Estudo ao meu tempo, sem exigências, e acredito que desta forma, torno o ato de estudar um hábito e consigo absorver muito mais informações e conteúdo. Contudo prestar atenção nas aulas, entender o que os professores dizem e estar atento aos conteúdos são fundamentais para concretizar os conhecimentos e entender os temas”, diz.

Já Daiene estuda todos os dias, cerca de uma hora, após as aulas e aos finais de semana quando acontece o período de provas. Esse hábito a ajuda ir melhor nos estudos. “Percebi que assimilo melhor o conteúdo à noite, fazendo uma revisão da matéria exposta em sala de aula. E paralelo às aulas estudo também com os livros da Biblioteca para ter um melhor rendimento”, explica. Os títulos mais solicitados são sobre Fisioterapia Respiratória, área na qual tem uma dedicação maior. “Por ter mais dificuldade procuro estudar mais. Sempre busco por indicações dos professores, mas algumas vezes pego por conta também”, conta a estudante que além das aulas no período noturno, faz estágio na Clínica de Fisioterapia da Instituição às segundas, quartas e sextas.

Dicas

Não só durante a graduação, mas durante o exercício profissional, o importante é reservar um tempo do dia para dedicar-se aos estudos. No caso de Daiene a leitura a ajuda na elaboração dos protocolos que são utilizados nos atendimentos que faz na Clínica de Fisioterapia. “A leitura me ajuda muito nos estudos, inclusive a montar os protocolos de todos os atendimentos que faço na Clínica, pois faço personalizado para cada paciente que tenho”, conta.

Marcus ressalta que o estudo deve ser feito no tempo de cada um. “Estudar um pouquinho por dia é suficiente para não se desesperar um dia antes das avaliações. O importante é recorrer aos livros e artigos científicos e evitar informações de blogs, sites que não são idôneos e também de redes sociais”, comenta.

Superação

A dedicação aos estudos sempre fez parte da vida de Daiene. Bolsista do Claretiano – Colégio São José, quando fez o Ensino Médio, e agora do Claretiano – Centro Universitário para a graduação, estudar sempre teve prioridade em sua vida, inclusive quando muitos falaram que ela iria desistir. De origem simples, os pais sempre a incentivaram e apoiaram nos estudos, inclusive quando engravidou, no primeiro ano da graduação.

“Muitos diziam que eu não daria conta e que logo desistiria de estudar. Mas como tempo mostrei para todos que consigo, que sou capaz, pois gosto de ser desafiada. Hoje estou casada, minha filha tem dois anos e consigo boas notas na faculdade. O apoio da minha família foi e é fundamental na minha vida”, conta ressaltando que todos devem correr atrás dos seus sonhos e os estudos podem facilitar essa caminhada.

COMPARTILHAR