Produtores rurais de Batatais se unem por mais segurança após sequência de furtos

Produtores rurais se unem por mais segurança após sequência de furtos em propriedades de Batatais (SP). — Foto: Fábio Júnior/EPTV

O site G1, anunciou que após sequência de furtos, produtores rurais de Batatais (SP) decidiram se unir para tentar evitar mais prejuízos. Com o auxílio das redes sociais, os sitiantes monitoram a região e alertam o grupo caso encontrem pessoas desconhecidas ou veículos parados próximos às propriedades.

Em nota, a Polícia Militar disse que desempenhou diversas ações ao longo do ano passado, porém não informou o que pretende fazer para combater os furtos na zona rural.

“Todos da região participam desse grupo de conversas e avisamos qualquer coisa estranha que aconteça. Sempre que tem carro novo, a gente puxa a placa para descobrir o que é. Pode ser uma pessoa normal, como pode ser alguém estudando a área para furtar depois”, explica o sitiante Leandro de Oliveira.

Os produtores rurais afirmam que decidiram tomar essa atitude porque, nos últimos seis meses, quase todas as propriedades foram furtadas na região.

O sitiante Marco Antônio Látaro foi furtado três vezes nesse período e disse que, em todas elas, registrou boletins de ocorrência, mas não teve resposta da polícia.

“Levaram café, defensivos, trator e outros equipamentos. No último furto, foi geladeira, ferramentas, carroça e arame de cerca, mas a polícia ainda não passou nada para nós. Ficamos inseguros, os funcionários da fazenda tem medo e não querem mais morar lá”, diz.

O produtor rural Ismar Pereira foi mais uma vítima dos ladrões. Ele conta que o sítio foi invadido em uma noite de chuva. O barracão foi arrombado e tudo o que havia de valor dentro do local foi levado. Ele acredita que a quadrilha estudou a região antes de praticar o furto.

“São pessoas que pesquisaram muito área, porque é muito escuro nesse local durante a noite e para quem não conhece, fica perdido. Eles também conhecem equipamentos, café de boa qualidade, coisas de valor, porque se for algo que não tem valor alto, eles não levam”, conta.

O sítio de Alexandre César Ricci também foi alvo dos ladrões por duas vezes. Eles furtaram ferramentas, materiais e equipamentos. Com medo da violência, o sitiante disse que perdeu a paz e a tranquilidade que buscava no campo.

“A gente fica inseguro, porque moramos na roça e nunca teve roubo. Toda semana tem uma nova vítima. Acabou o sossego de antigamente e nós precisamos de alguma resposta”, diz.


COMPARTILHAR